• (45) 3027-2551
  • (45) 99834-2934
  •         
Foz do Iguaçu, Paraná    º ↓º    15 Nov | 13h33
Revista
DIVA MAG
Assine Já
25 Nov | 16:11:51

Foz é verão e verão é hi-dra-ta-ção!




Oficialmente, o verão ainda não chegou, mas aqui na região de Foz do Iguaçu as temperaturas mais elevadas e o clima seco estão presentes em boa parte do ano. Por isso, é muito importante relembrar os cuidados necessários com a saúde para uma boa hidratação do corpo ainda antes do início do verão.


Apesar de ser um assunto pertinente em todas as estações do ano, é em temperaturas mais altas que a desidratação se torna importante pelo perigo que representa. Quando estamos em estações quentes, eliminamos ainda mais água do nosso corpo, e os problemas decorrentes aparecem com mais facilidade. Além dos sintomas mais graves, outro grande aliado na hora de notar como anda o nível de água no corpo é a pele, pois todos os tipos de pele podem ser prejudicados no calor. É sempre bom lembrar de usar um bom protetor solar de alto FPS e hidratante para manter a saúde da pele, que está tão exposta a fatores como temperatura, poluição e bactérias.

Confira a seguir as dicas que a Diva separou para cuidar de você e dos ambientes em que você circula!

 

Hidratação está em moda todo verão

O corpo humano em condições normais perde em torno de 2 litros d’água por dia, isso incluindo suor, fezes e urina, portanto, pelo menos a mesma quantidade de água deve ser ingerida novamente para manter o equilíbrio e não entrarmos em processo de desidratação.

Os sintomas de desidratação incluem cansaço muscular, aumento da frequência cardíaca, confusão mental, tontura, enjoo, vômito, irritabilidade e sonolência. O sinal mais claro e comum é a sede, já que o correto é beber água periodicamente, sem deixar seu corpo sentir falta de água. Esses sintomas também podem se apresentar de maneiras diferenciadas ao longo da vida, como por exemplo, nos bebês, em que você pode notar a desidratação pela moleira muito baixa. Nas crianças, podemos notar olhos secos, choro sem lágrima, e falta de saliva em baixo da língua. Para os idosos, esse processo requer ainda mais atenção, pois além de fatores externos, o corpo humano também muda seu funcionamento na melhor idade, tendo 20% a menos de água do que um adulto, e parando de sentir sede por alterações no sistema nervoso. Outro ponto para ficar atento, é a interação de remédios de uso contínuo que podem causar desidratação, como os diuréticos, indicados para o controle da pressão arterial. Com a chegada do calor, alguns remédios podem precisar ter suas doses revistas.

Se notar sinais de desidratação em você ou em outra pessoa, a melhor opção para uma recuperação rápida é a ingestão de soro, tanto o caseiro quanto o de farmácia. Quando perdemos água pelo suor, também eliminamos sais minerais que precisam ser repostos, nesse caso, um suco de frutas ou água de coco são ótimos isotônicos naturais. Caso ainda assim não haja melhora, ou se for apresentado vômito ou diarreia, leve a pessoa imediatamente ao hospital. Manter-se hidratado é tão importante porque além de eliminar toxinas, a água ajuda no funcionamento dos órgãos, regula a temperatura corporal, lubrifica as mucosas, transporta nutrientes e é fundamental para o correto funcionamento e desenvolvimento de todas as células do organismo.Pele
Sem a hidratação correta, a pele seca pode apresentar irritações, coceiras e até mesmo feridas. A pele oleosa produz ainda mais sebo, levando à lavagem excessiva do rosto, que acaba piorando a oleosidade. Além de se manter hidratado com uma boa alimentação e ingestão de água, cremes e loções hidratantes também ajudam a manter a integridade da pele. As peles secas preferem produtos mais consistentes, como os cremes, já as oleosas preferem texturas mais leves, como produtos em gel ou loções.Alguns componentes podem ajudar na retenção de líquido da pele, impedindo a desidratação, como lactato de amônia, antioxidantes, ureia e extratos de camomila e calêndula. Além disso, algumas práticas no dia a dia também ajudam a manter a pele saudável, como ter consigo uma garrafa de água, hidratar-se após fazer exercícios, usar vestimentas leves, não consumir muitos produtos com álcool, evitar alimentos gordurosos, salgados e industrializados, assim como diminuir a exposição ao sol e calor.

Com o famoso clima de Foz do Iguaçu, também do nosso Brasil tropical como um todo, a maioria das pessoas está em contato com um ar-condicionado por muito tempo, seja em casa, no trabalho ou ambos. A exposição da nossa pele ao ar-condicionado pode também resultar em ressecamento se o aparelho não estiver devidamente cuidado. A limpeza periódica e correta é essencial para manter a integridade do ar e do nosso organismo. É muito comum também que outros objetos sejam esquecidos e não recebam uma limpeza preventiva, como o ar-condicionado do carro e o umidificador de ar, verdadeiros aliados para tempos muito quentes e secos, mas que se não forem cuidados corretamente, podem virar um vilão para sua pele e sua saúde respiratória.

Ar-condicionado: o melhor amigo de todo iguaçuense

Para refrigerar o seu ambiente, o ar-condicionado traz o ar de fora para dentro do cômodo. O aparelho possui um sistema interno de limpeza do ar, mas é preciso fazer a manutenção preventiva desse sistema para garantir que ele cumpra seu papel. Se os filtros e as tubulações estiverem sujos, o ar-condicionado pode contaminar o seu ambiente com substâncias alérgenas e até mesmo poluentes, como pesticidas. Entrar em contato com essas substâncias pode acarretar em coceira nos olhos, dores de cabeça e problemas respiratórios, podendo desenvolver até mesmo doenças como amigdalite e bronquite. Além disso, é importante tomar alguns cuidados para que a longa exposição ao ar-condicionado não prejudique sua saúde, é importante beber água constantemente, desligar o ar e abrir as janelas periodicamente, evitar contato direto com o ar mais frio que sai do aparelho, ter um umidificador de ar, ter um colírio por perto, passar creme hidratante e evitar banhos com água muito quente.

A manutenção e a limpeza do ar-condicionado, assim como de outros equipamentos similares, deve ser preventiva, dessa maneira, a integridade do ambiente estará garantida, podendo prever possíveis problemas que poderiam causar prejuízos à saúde. Para isso, é muito importante ler o manual de instruções do seu aparelho e conferir as indicações do fabricante. Os pontos que devem ganhar mais atenção na hora de inspecionar o ar-condicionado são:

- A limpeza dos filtros de ar, da unidade condensadora e da unidade evaporadora;
- A quantidade de gás refrigerante;
- O estado das conexões e instalações elétricas do aparelho.

Lembre-se também que é preciso fazer inspeções anuais nos aparelhos, realizadas por um técnico especializado, pois requer o uso de materiais de proteção.

Ar-condicionado automotivo
O ar-condicionado do carro também precisa de cuidados preventivos e manutenção, já que tem contato mais direto com poluentes vindos de outros carros e de odores da cidade. O funcionamento correto do ar automotivo influencia diretamente em outros componentes do carro, como no gasto de combustível. Dependendo do modelo do carro e do estilo de direção do condutor, o ar-condicionado pode consumir cerca de 20% do combustível. Vale salientar também, que não há diferença na utilização do sistema em nível mínimo ou máximo, o gasto será praticamente o mesmo. Então, se a sua ideia é economizar combustível, a melhor saída é desligar o ar e abrir as janelas.

Quem ajuda a filtrar as impurezas no processo de refrigeração do automóvel é o filtro de cabine, ou filtro antipólen. Além de utilizar um papel especial, alguns modelos contam com carvão ativado, que aumenta a capacidade de retenção de odores e elementos patogênicos. Por isso, fique atento para maus odores ou cheiro de mofo dentro do carro, que podem ser confundidos com sujeira impregnada nos bancos, mas na verdade, podem estar vindo do filtro do ar condicionado. Se isso acontecer, é importante trocar o papel filtrante e higienizar todo o sistema, pois assim como outras peças do carro, essa também tem data para ser trocada, que geralmente segue a indicação de ser feita a cada 10 mil quilômetros rodados. A peça deve ser trocada e não reutilizada porque é muito difícil fazer a limpeza correta devido ao seu acesso ser dificultado. A substituição não é tão cara, mas devido às complicações, a mão de obra tem o valor mais alto do que a própria peça.

Assim como no ar-condicionado de casa, o automotivo deve ser sempre trocado e inspecionado por um técnico, que vai verificar o filtro de ar, as mangueiras e a pressão do ar.

Importante
Uma informação importante e pouco conhecida é o procedimento que deve ser seguido antes de ligar o ar-condicionado num carro que ficou estacionado por muito tempo no sol. Muitas vezes ao entrarmos no carro, só ligamos o ar em uma potencia alta para que ele refrigere mais rápido, mas esse ar que vai circular no interior do veículo é tóxico para o nosso sistema respiratório. O correto a se fazer é abrir os vidros do carro e circular com ele para sair o abafamento, só então o ar-condicionado deve ser ligado, ainda mantendo as janelas abertas. As janelas só devem ser fechadas quando a temperatura ficar amena.

Umidificador: o mocinho que pode ser vilão

Um grande salvador dos dias quentes e secos é o umidificador de ar, pois ele libera vapor d’água em forma de uma névoa fina para o ambiente. O clima muito seco é prejudicial a nossa saúde, pois desidrata a mucosa do sistema respiratório e pode causar inflamações e agravamento em casos de sinusite, asma, faringite e rinite. Em bebês e crianças, os danos podem ser ainda mais severos, causando feridas nas narinas, crises de bronquite e até mesmo doenças de pele.

Apesar de todos os benefícios, é preciso ter em mente que usar um umidificador de ar requer responsabilidade, pois seu mau uso pode acarretar em outros tipos de problemas tão graves quanto os causados pelo ar seco. Como por exemplo, a proliferação de mofos e bolores, que causam doenças respiratórias e alérgicas, principalmente nas crianças. No caso dos pequenos, o recomendado é que o aparelho seja ligado quando a criança ou o bebê não está no quarto, mantendo a porta e a janela abertas, porque se o umidificador não estiver bem limpo assim como a água que vai nele, o vapor expelido pode transmitir esses micro-organismos prejudiciais à saúde.No geral, as recomendações de uso são deixar o aparelho ligado por três ou quatro horas somente, higienizar o aparelho periodicamente apenas com água e detergente, colocar o aparelho em uma superfície lisa, firma e longe de aparelhos eletrodomésticos, e nunca deixar a saída de vapor do umidificador virada para a parede, pois isso pode acarretar na proliferação de fungos no local.

Importante
Quando anoitece naturalmente a umidade do ar é elevada pela ausência do sol, isso pode fazer com que o umidificador de ar não seja necessário, e seu uso pode causar um excesso de umidade no ambiente, que também pode levar aos problemas com fungos que já foram citados.


Compartilhar


Posts Relacionadas


Comentários